domingo, 28 de dezembro de 2008


Quando por vezes nos sentimos petrificadas, frias, secas e contraditoriamente sedentas de um alguém
por perto.Quando por muitas vezes somos tão confusas a ponto de não saber se queremos a pessoa
aos nossos pés ou aqueles seres desprezíveis que nos fazem sentir tanta raiva a tanto apego
simultaneamente. Quando por vezes desprezamos ou ignoramos mesmo sem saber, só pelo
simples fato de saber que você foi odiada por um momento na sua vida e mesmo assim não desistiram
da conquista. Quando por vezes achamos que devemos ser transparentes e confiantes e vêm o medo do
desprezo bate mais forte. Então, o que fazer? como agir ? o que dizer? As coisas
parecem tão fáceis quando vistas de fora. Os sentimentos parecem muito mais sinceros nos outros.
Queria um dia poder confiar em algupem com tanta força que nada me fizesse duvidar de algo
ou pelo menos acreditar que outras pessoas também são capazes de gostar. É escrevendo essas coisas
que consigo chegar a conclusões que não chegaria com simples pensamentos. Á uns dias atrás
resolvi repensar minha vida e estipular metas pra um ano novo e tal. mas estipulei mais que metas,
vi a necessidade de mudar, de ser melhor de confiar mais. E de hoje em diante, aos
poucos vou tentar seguir isso à risca, começando assim que voltar de viajem. e quem sabe com a confiança aguçada eu consigo levar pra frente aquilo que me dá tanto medo? tomara néé.
boom... Feliz Ano Novo pra todos. :)

sábado, 6 de dezembro de 2008

Parabéns pra mim :)


Hoje é meu aniversário!!! Parabéns pra mim :)
rsrsrsrs
Enfim... deixei esse texto pronto pra vir aqui só postar, afinal, é meu aniversário e não pretendo ficar atolada aqui nesse computador solitário por muito tempo. E pra escrever esse texto foi um sacrifício bem...sacrificante (a redundância foi proposital) tentar sentir a emoção do dia do aniversário antes dele acontecer.

Como um dia, um único dia consegue ser tão importante pra todos nós? É incrível como em todos os aniversários penso a mesma coisa...porque comemoramos o dia em que nascemos? porque não comemoramos o dia em que fomos gerados, ou a cada mês? Essas estipulações de datas, anos, meses, dias... quando não existia ninguém devia comemorar nada, ou comemorava? Enfim... dúvida muito curel, não sei se chega a ser uma coisa construtiva a se pensar, mas assumo que é um questionamento que me faz refletir e muito ( coisa que dificilmente consigo fazer devido a incrivel falta de paciência).
Nesse único dia também surgem aqueles medos horrendos de... será que alguém vai lembrar? Será que AQUELA pessoa vai lembrar? E se todo mundo equecer? E se eu não ganhar presente (claro que ainda fico esperançosa quanto aos presentes, mesmo sabend que depois dos 15 as coisas mudam um pouco de figura né...)?
E na parte mais consciente do seu dia de aniversário que querendo ou não é sempre aquela gandaia é pensar em tudo o que se fez de bom até agora, e o peso que você ganha a cada ano em cima das costas, onde estão incluídas as resposabilidades, as metas, o juízo, o bom senso e tudo o que diz respeito à civilidade e ao bem estar próprio e com a sociedade.
Mas num resumo de tudo, aniversário é o di que nós devemos tirar para esquecer de tudo o que é comum, o que é corriqueiro e nos jogarmos naquela farra vivendo um mundo novo e acreditando que o outro dia sempre será melhor.

Por fim...
parabéns pra mim, muita gandaia, muitas felicidades, e determinação pra chegar NAQUELE lugar, com TUDO o que eu estou guardando pra levar junto comigo e subir do melhor jeito possível. (^)